A história de como fomos adotados pela mamãe e papai

historias de adocao gatos wiggleBom, a nossa história não é de resgates surpreendentes, mas por pouco fomos salvos do abandono. Há um ano e meio atrás um colega de trabalho do meu papai disse que tinha uma gata linda que ia ter bebezinhos, e eu era um deles, então quando nascemos a mamãe e o papai foram lá conhecer a galera, e me escolheram porque eu era o mais lindo e grande de todos da ninhada, me senti sortudo!!!

Depois de um mês, eu mal tinha aprendido a andar e comer e esse colega do papai ligou e disse: Se vocês não virem buscar o de vocês agora, eu vou abandonar todos! (não sei o que houve com meu irmãos)

A mamãe muito rápida pediu pro papai me buscar, e quando cheguei na minha casa nova foi só amor, a mamãe me ensinou a comer, usar caixinha de areia(eu sou bem limpinho) e me ensinou a brincar, virei um príncipe… cresci saudável, tomei todas as vacinas e fui castrado, e ao contrário do dizem, eu amo tanto minha mamãe que tenho ciúmes dela com o papai.

Um ano depois que cheguei em casa, a mamãe tirou férias e me deixou recebendo visitas da vovó uma vez por dia, eu não gostei não, me senti sozinho, triste e muito bravo, perdi meus pelinhos e até emagreci, quando a mamãe voltou eu me revoltei com ela e fiquei bem chatinho… Então a mamãe perguntou pra tia da veterinária o que podia fazer pra me ajudar (além de dar muito amor) e ai a tia deu uma ideia super legal de arrumar uma irmã para mim, assim quando a mamãe saísse eu não ia me sentir sozinho. Como a mamãe apoia a adoção, ela foi até o Facebook procurar minha irmã, e recebeu um apelo dizendo: Por favor fique com minha gatinha, eu não tenho condições de ficar com ela porque tenho um bebê e não está dando certo. Que vergonha moça!!! Mas a mamãe se comoveu e foi buscar minha MANA.

Quando a mana chegou foi difícil pra ela, não pra mim porque eu fiquei muito empolgado e curioso, mas a Mana ficou nervosa e toda arrepiada, brigava comigo e com a mamãe, não queria brincar, a mamãe ficou desesperada porque já fazia 4 dias e ela não se adaptava, mas nós descobrimos que no fundo ela estava assustada e com muito medo, foi só dar mais amor e pronto, viramos amigos…Ela é mais nova que eu 6 meses.

Um dia a mamãe foi castrar a Mana, e a veterinária fez um serviço de açougueiro, os pontinhos inflamaram, abriram, ela não deixava a mamãe fazer curativos porque dizia que não precisava, a mamãe chorou muito porque a Mana quase morreu, ficou muito triste e debilitada…

Mas com muito esforço da mamãe, cuidado por conta própria e amor, 30 dias depois a Mana estava 100%, mas foi um susto, eu fui um bom menino e ajudei a cuidar, não brinquei de pular!

Depois a mamãe e papai viajaram novamente, é legal ficar com a Mana, mas ela não entendeu que eu não gosto de ficar sem ela, eu fiquei rebelde e fiz xixi fora da caixinha e na cama dela, bem aonde o papai dorme…depois disso eu levei uma bronca bem feia!

historias de adocao gatos manaDepois mudamos para um ap maior, e nós podemos correr muito aqui…eu domino o quarto e a cama da mamãe e a Mana a casa toda hehehe…Eu sou meio desconfiado e confio mais na mamãe, não gosto do colo de outras pessoas, e a Mana é bem carinhosa e da atenção pro papai, e é bem egoísta também porque não divide os brinquedos que a mamãe faz…pode-se dizer que somos diferentes um do outro mas nossas personalidades são bem forte… Também somos um poucos “terríveis” mas a culpa é da mamãe que trata a gente que nem criança!

Amamos muito tudo isso!!!

Lambeijos.

 


Kawany Saes Bernardo tem 26 anos, é mamãe do Wiggle e da Mana e ama adoção, se pudesse adotaria mais alguns. Ela sonha com uma Ong pra gatinhos e ama os dois que eu tem como filhos.

 

#AmorAoPrimeiroRonron é uma sessão de histórias enviadas pelos leitores para incentivar a adoção e amor pelos miaus. Quer compartilhar sua história também? Clique aqui!

Comentários desativados.