Dexter e Luna – O Início

DEXTER

DEXTER

Tudo começou no dia em que os humanos (uma fêmea e um macho) me tiraram de onde estava com o meu irmão e me levaram para outro lugar, um lugar que eles chamam de casa ou apartamento, deram-me comida e água e o humano macho que se denomina meu pai (mal sabe ele que é meu servo) deu-me o nome de Dexter. Sempre fui feliz, tinha um lar, pais (tudo bem eu aceito que eles achem que eu sou filho deles) amorosos que me davam uma comida molhadinha que como toda semana. FOI QUANDO TUDO MUDOU…

Um dia sai passear com meus pais no carro, eles dizem que pareço um cachorro (como se eu fosse aqueles animais babões!) pois vou na janela do carro com o nariz cheirando todos os cheiros novos. Vi que paramos e a mamãe saiu do carro, fiquei lá dentro tomando meu sol no tampão quando vejo um outro serzinho no carro e, pior, no colo do papai! Ele pegou a minha (vale lembrar) comida e deu praquele serzinho. E foi ai que tudo mudou na minha vida…

LUNA

LUNA

Eu tenho consciência do que me aconteceu, mas nunca contei para meus papais tenho medo deles fazerem a mesma coisa. Foi um dia incrível quando eles me encontraram, eu havia sido abandonada em um posto de gasolina, os tios de lá eram muito legais e me davam comida e água quando podiam.

Nesse dia passou um caminhão muito rápido e me assustei, entrei embaixo do carro do papai. Todos os tios lá foram correndo me acudir, mas os papais já tinha me colocado no carro e me dado comida. Lembro do papai perguntando se eu tinha dono e os tios contando minha história, papai então falou que me levaria pra casa. Sério, foi o melhor dia da minha vida!

No lugar que eles chamam de carro eu descobri que tinha um gato que eles chamam de Dexter, e ele me olhava feio, eu tinha medo. Foi quando mamãe entrou no carro me pegou no colo e me deu seu aconchego até o lugar chamado casa.

Eles cuidaram das minhas pulgas (acreditem, eu tinha muitas), também cuidaram dos meus machucados, e então libertaram-me para desbravar o lugar chamado casa. E foi ai que o gatinho do carro (lembram? O Dexter?) veio brigar comigo, afinal o lar era dele e eu não era bem vinda. Papai e mamãe não gostaram nadinha, eles deixavam a gente separado na hora de dormir, e ficávamos perto um do outro apenas sob a supervisão dos nossos pais. Mamãe deu-me o nome de Luna pois sou cinza com os olhos azuis, igual o céu da lua.

No inicio foi difícil, mas logo o Dexter me aceitou e viramos bons irmãos. Papai e mamãe já nos levaram em uns tios que me cortaram e me deixaram com um curativo gigante na barriga, o Dexter também foi mas ele não levou curativo nenhum :/. Passeamos também esses dias num outro lugar chamado veterinário, a moça legal nos picou com uma coisa chamada agulha, mas aquele dia, por nos comportarmos, ganhamos sachê.

Passeamos bastante com nossos pais, vamos para a casa da vovó de tempos em tempos onde ela nos agrada um monte, e tem muita terra para rolarmos, a única coisa ruim é que temos que tomar banho quando chegamos em casa.

E agora no frio nossos pais ligam uma coisa chamada aquecedor, e sai um ar quente dele, eu e o Dexter ficamos embaixo para nos esquentarmos, e depois dormimos bem no meio do papai e da mamãe.

Enfim, hoje minha vida é muito mais feliz do que era antigamente, e tive sorte de ser encontrada pelo papai e pela mamãe e pelo Dexter. Agora eu vou lá que o papai e a mamãe chegaram, e está na hora de fazer uns ron ron pra ganhar carinho no colo da mamãe.


Jaque e Danilo sao os pais do Dexter e Luna, e perdem seus travesseiros na hora de dormir para eles.

 

#AmorAoPrimeiroRonron é uma sessão de histórias enviadas pelos leitores para incentivar a adoção e amor pelos miaus. Quer compartilhar sua história também? Clique aqui!

Comentários desativados.