Afinal, cães e gatos podem pegar ebola ou não?

Órgãos oficiais de veterinária e infectologia se reuniram para passar informações importantes sobre o ebola e animais domésticos.

0002083270WW-1920x1280

A Associação Americana de Médicos Veterinários (AVMA), a Associação Mundial de Veterinários de Pequenos Animais (WSAVA) e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos estão trabalhando em conjunto para informar o público sobre condições do ebola em relação a cães, gatos e outros animais. Seguem abaixo os principais dados divulgados até o momento.

 

Contágio e Transmissão

Os comunicados oficiais informam que, até onde se sabe, nem cães nem gatos desenvolvem a doença. Não existe nenhum caso relatado de cães ou gatos com ebola, nem de transmissão da doença de cães ou gatos para humanos.

Um estudo de 2001-2002 realizado durante a crise no Gabão examinou 439 cães nas zonas de risco (inclusive animais que comeram corpos infectados) e registrou que apenas 25% deles tinham o anticorpo contra o ebola.

Porém… nenhum deles tinha o vírus no corpo, nem estava doente, nem apresentava sintomas da doença. Os anticorpos indicam apenas que os cães estudados tiveram contato com o ebola, e não que eles fossem hospedeiros do vírus ou que possam transmiti-lo às pessoas.

 

Caso do cachorro Excalibur

A WSAVA se pronunciou oficialmente contra o sacrifício do cachorro Excalibur, que vivia com a enfermeira espanhola que contraiu ebola. O cachorro de 12 anos foi morto semana passada por autoridades de Madrid apesar dos apelos desesperados de seus familiares humanos.

Segue um trecho traduzido do comunicado da WSAVA:

Infelizmente, o cachorro em questão [Excalibur] não foi testado para o vírus e nós acreditamos que a tecnologia existente possibilita a realização de exames e quarentena em vez de sacrificar automaticamente animais expostos.

Esse semana, o cachorro Bentley, de uma enfermeira americana que também contraiu ebola, foi colocado em quarantena em uma base naval. Ele está sob observação e tem, segundo as informações oficiais, brinquedinhos e uma caminha quentinha para ficar confortável.

 

Morcegos e primatas

A situação muda, entretanto, em relação a morcegos e outros primatas. Acredita-se que os primeiros contágios por ebola tenham se dado pelo contato com morcegos-da-fruta e eles são o reservatório natural do vírus.

Já os macacos são tão vulneráveis ao ebola quanto os humanos e apresentam os mesmos sintomas e taxa de mortalidade. O contágio se dá, como de humano para humano, pelo contato direto com flúidos e mucosas. Muitas crises passadas de ebola foram causadas pelo consumo de carne de macacos infectados.

 

Para saber mais (links em inglês)

Comunicado da WSAVA

Perguntas e respostas AVMA

Perguntas e respostas CDC

Estudo “Ebola Virus Antibody Prevalence in Dogs and Human Risk”

 

Foto: Photl

Comentários desativados.