Pica: gatos que comem plásticos ou chupam tecidos

pica

Os gatos têm muitos hábitos que são estranhos para a gente, e comer coisas não comestíveis é um deles. Desde plástico, tecidos, meias, até areia do banheirinho. Normalmente o comportamento acontece uma vez ou outra, ou só na infância do gatinho. Mas caso ele se torne recorrente é considerado uma síndrome chamada pica.

A pica pode ser extremamente perigosa para o animal, já que ele pode ter obstruções intestinais (atenção a mudanças no hábito de ir ao banheiro dele) ou comer materiais tóxicos (a areia da caixinha é especialmente perigosa). Existem várias razões identificadas como causas da pica, e várias possíveis soluções.

Como o comportamento é um tanto obsessivo, quanto antes for feita a intervenção, melhor. A primeira coisa a fazer é tirar de perto dele tudo que for um “alvo” (afinal não é legal deixar cigarro na frente de quem quer parar de fumar, certo?). Plante graminhas para o gato mastigar no lugar do material que causa o problema, pode ser aquela vendida em pet shop ou outra comestível, como a do milho – veja aqui como plantar.

Depois, reconheça a causa específica do comportamento. Veja abaixo as opções freqüentes e como resolvê-las. Lembre-se que se o comportamento não parar, é bom consultar um especialista o mais rápido possível.

Doenças: câncer, tumores na tireóide, infecções e anemia podem fazer o gato desenvolver pica. Mas normalmente comer coisas não comestíveis não é o único sintoma, observe outras mudanças no comportamento do gato. Para garantir, antes de mais nada, faça um visitinha ao veterinário.

Alimentação: falta de fibras na dieta pode fazer o gato buscar fontes alternativas do componente. Nesse caso, mude a ração por uma com mais fibras e converse com o veterinário sobre como complementar a alimentação seu amigo (a graminha é ótima para isso).

Tédio e stress: como é um comportamento compulsivo, a pica está associada a condições psicológicas. Brinque com seu gato pelo menos 15 minutos por dia, com briquedinhos interativos de corda (veja aqui como fazer um). Deixe à disposição dele vários quebra-cabeças, serve desde uma caixa com furinhos e uma bolinha até brinquedos elétricos que se mexem sozinhos.

Separação precoce da mãe: além de que se separar da mãe é uma causa imensa de stress, quando o gatinho chupa tecidos recria o movimento de mamar, e isso é um gesto reconfortante para eles. Quando essa é a causa, o comportamento tende a desaparecer conforme o gato for crescendo. Dê bastante atenção para ele nos primeiros dias, deixe ele dormir perto de você ou na companhia de outros gatos e brinque bastante com ele.

Composição da areia: comer a areia da caixinha é relativamente comum em filhotes, mas se o gato adulto começou o comportamento de repente pode ser sinal de problema – veterinário já! Qualquer que seja a causa, troque de material ou marca (se usava argila, tente a de madeira, por exemplo). Escolha opções mais naturais sem cheiro e não-sílicas, já que a composição da maioria das areias é tóxica e pode causar sérios problemas de saúde caso ingerida (a sílica é perigosa até de ser inalada).

 

Foto: hehaden

24 Comentários

  • Luana disse:

    Olá tenho um gato de 10 meses e ele tem a mania de comer plásticos, até fio de carregador ele mastiga não posso deixar nada perto dele que ele já quer morder. Não sei o que fazer pra ele parar com isso.

    • =^.^= disse:

      Quando vira hábito, a pica é realmente muito complicada de resolver em casa, Luana :( Tenta seguir as dicas do texto, o Feliway é sempre bom e florais podem ajudar também, mas para resolver mesmo pode ser que só um veterinário comportamentalista.

  • Nívea disse:

    Muito bom esclarecimento. Enfatiza em alguns parágrafos, o quantos os bichos também precisam de carinho, atenção, afeto, diversão. E não apenas dispensar a eles, comida e água. É isso aí!

  • Marcela disse:

    Um dos meus gatinhos tem essa compulsão por tecidos. Ele vai mamando, mamando e ai qdo vemos, tem um rombo do tamanho de uma laranja. Tiramos todos os tecidos que estavam disponíveis na casa do alcance dele, como toalhas, panos de pratos, lencois etc, Levamos a uma vet comportamental e ela nos receitou incluir fibra na dieta dele, brincar muito a noite. Nada disso adiantou, se tiver uma brecha ele vai lá e mastiga. Eles são irmãos da mesma ninhada, têm um ano e 3 meses e ainda mamam um no outro. No começo nós tentavamos evitar que eles se mamassem, mas como isso relaxa, agora deixamos sem problema. Mas ficamos de olho para não criar feridas. No sofá jogamos um spray pra afastar, pois ele já chegou a dar umas mordidas. O produto não tem cheiro, mas tem gosto ruim.

  • Agner Roncali disse:

    Oi, eu tenho dois gatos, um menino e uma menina. O menino se chama Seeley Booth, uma homenagem a um personagem de seriado que minha noiva e eu gostamos, e a menina se chama Kimi. A menina tem um habito que não me alarmou no inicio. Em fim. Ela tem o costume de mamar na coberta sempre que deitamos para dormir. Ela se posiciona entre eu e a minha noiva, puxa um pedaço da coberta e começa a sugar e movimentar as patinhas como fazem os gatos recém nascidos. A coberta tem a textura como se fosse de pelo de gato, então eu sempre deduzi que ela estava apenas seguindo os instintos dos filhotes que é mamar. Porem ela já tem 11 meses, esta enorme, já entrou no cio e continua fazendo isso. Sera que é algum reflexo da falta da mãe ou ela esta com algum problema?

    O irmão dela fez a mesma coisa quando menorzinho, hoje não faz mais.

    • =^.^= disse:

      O gesto de “mamar” é muito recompensador para eles, faz eles se sentirem bem. Realmente é comum nos bebês porque eles associam com a mamãe, mas alguns acostumam e a coisa acaba virando um hábito que pode se prolongar para o resto da vida. Se ela faz só de vez em quando não tem muito problema, o perigo é aumentar a frequência e se tornar uma coisa compulsiva. Se perceber que está fugindo do controle, é bom tirar a coberta de perto por alguma semanas e seguir as orientações do texto. Depois volta a coberta aos poucos, sob supervisão. Uma coisa que ajuda muito é o Feliway, é um ferormônio (spray ou difusor) que faz os gatos se sentirem bem e seguros. Se nada resolver, é bom consultar um veterinário comportamentalista, ele vai poder avaliar o caso e se necessário passar alguma mudança na dieta ou medicação para evitar que a coisa se torne compulsiva. (E amei o nome Seeley Booth! Combina muito com a personalidade dos gatos! Muito criativos vocês! Bones é demais, tenho uma prateleira inteira só dos livros da Kathy Reich rsrs)

  • natalia disse:

    Oi!! Eu achava normal até ler essa matéria e fiquei preocupada.
    Minha gatinha tem uma mania ( que eu achava q era estranha mas nunca me preocupei) com cartazes colados na parede, com durex, e ela fica alucinada no durex colado na parede, e rasgas as coisas da parede ate chegar nele e começar a roer, e as vezes até engole.
    O que ´pode ser isso?

    Obrigada

    • =^.^= disse:

      Ih, durex é um perigo! Melhor tirar todos os durex de perto dela. Tem cara de ser pica mesmo, segue as indicações do texto, mas dependendo do nível é legal também procurar um vet comportamentalista que mude a dieta dela ou prescreva algum remedinho para ajudar.

  • mari disse:

    Tenho uma gatinha q tem o habito de roer carregadores e fones de ouvidos tenho q esconde-los dela, pois se não já era. Ela já chegou a roer um carregador enquanto ele estava na tomada e partir o carregador no meio com os dentes. Isso pode ser sintoma de pica?

    • GatinhoBranco disse:

      Roer fios normalmente é outro problema, Mari. Eles fazem isso por brincadeira, fios se mexem bastante e eles adoram. É perigosíssimo ela levar um choque, mas você pode proteger encapando os fios com uma mangueira ou protetor de fios (vende em loja de material de construção). Os fones de ouvido é só guardar em uma gaveta que ela não consiga abrir. E não esquece de brincar com ela ;)

  • Erica Lorena disse:

    Tenho 5 gatinhos.Bibi ,de 1 ano,não pode ficar perto de sacolas plasticas ou outras coisas do mesmo material senão come . T
    enho que ficar atenta sempre que chego com compras. Sempre achei muito estranho.

  • Marcela disse:

    Estou muito preocupada com meu filhote. Nós temos 2 gatinhos, são da mesma ninhada e nasceram em fevereiro de 2014. Porém notamos que um deles roe e come tecidos. Já tiramos tudo da casa que pudesse oferecer risco a ele, como mantas, tapetes, panos de pratos, etc. No entanto se há algum segundo de descuido, pronto, ele abre um rombo no tecido. Eles têm bastate brinquedos a disposição, bolinhas, ursinhos, caixa com buraco, um arranhador enorme que ao mesmo tempo é uma casinha. Estou extremamente preocupada com a saúde dele.

    • GatinhoBranco disse:

      Oi, Marcela! Realmente é preocupante, tanto pela saúde mental quanto física (se ele engolir um pedaço de toalha pode dar probleminhas sérios). A Pica é bem complicada de lidar, muitas vezes a solução dos veterinários é medicar com antidepressivos. Mas tem como minimizar ou até extinguir de vez com modificações comportamentais e muito comprometimento da família. Ele precisa se sentir seguro no ambiente, ter vários lugares altos e vários esconderijos (túneis, tocas, caixas). Não adianta ter um poste super legal no canto da sala e nada no resto, ele tem que sentir livre para se locomover também (prateleiras são perfeitas), lembrando que nosso mundo é só horizontal mas os deles é vertical também! É muito importante que você brinque com ele usando aqueles brinquedos que parecem varas de pescar, que você balança a vareta e o brinquedo se mexe. Filhotes são muito ativos, então brinca mesmo! O mínimo é 15 minutos duas vezes por dia. Dependendo do que está causando/agravando o caso, uma massagem relaxante pode ajudar ele a ficar mais tranquilo (inclusive porque lembra as lambidas da mãe), muitos amam massagem com cerdas de escovas de cabelo de gente. E por fim, muito, muito importante, é o Feliway, de preferência o difusor. É um ferormônio sintético igual ao que eles liberam quando estão tranquilos, já vi e vejo fazer maravilhas. Tenta essas modificações (e as do post) e depois volta aqui para dar um feedback : )

      • Marcela disse:

        Muito obrigada pelo retorno e pelas dicas. Nossa casa tem bastante distração pra eles e muitos brinquedos. Apenas durante o dia todo eles ficam sozinhos, pois saimos cedo pra trabalhar e as vezes voltamos tarde. Mas aos finais de semana nossa atenção é totalmente voltada aos dois. Brincamos muito com eles, com cordinhas, varinhas com penas, baratinhas eletronicas, muitos carinhos e afagos. Vamos comprar o feliway amanhã e ver se vai funcionar. Caso não dê, já contatamos uma veterinária especialista em problemas comportamentais. Apesar do preço dela ser um pouco alto, nossa prioridade é o bem estar e a saúde de nossos filhotes. Logo lhe enviarei um feedback! Até breve.

  • Giselle disse:

    Oi, tenho um gato, de mais ou menos 2 anos… ele faz xixi nas paredes, como se marcasse o territorio… me mudei para a casa da minha mae, e há alguns anos ela tinha outros gatos, porém eles ja morreram..mas ele faz muito, e as veses tbm faz xixi em coisas minhas como bolsas e mochilas….
    será qie isso esta associado a algum odor dos outros gato em sofas, e outros moveis? não posso botar fora o sofa de minha mãe, e gostaria de uma solução….achei q fosse algum tipo de depressão, pois ele andava muito jururu e adotei um outro gatinho,e eles estao se dando muito bem, até diminuiu as veses q ele faz isso li que castrando-o talvez diminua isso.
    pensei em comprar o fellyway tbm, mas é muito caro, tem algo que possa fazer?

    • GatinhoBranco disse:

      Oi! Você está certa, ele está mesmo marcando território, e isso tem tudo a ver com os gatos que tinham antes na casa! A primeira coisa a fazer é levar no vet para fazer os exames e agendar a castração, algumas prefeituras fazem castração gratuita e algumas ONGs fazem a preço social. Depois, você tem que eliminar completamente o cheiro de xixi das coisas, usando um limpador enzimático ou vinagre com água (vinagre é mais barato mas é menos eficiente). O Feliway é ótimo, o spray é um pouco mais em conta e dura bem mais que o difusor, você pode borrifar perto dos “alvos” do gato e já ajuda bastante. Outra coisa que você pode fazer por um tempo é colocar plástico ou papel alumínio nos lugares que ele marca, isso deixa o lugar menos atrativo. Você também pode colocar ração perto dos alvos, dificilmente ele vai xixi perto da ração. Depois, vem a parte do enriquecimento ambiental, tem um pouco sobre isso aqui: http://gatinhobranco.com/?p=2014

  • Andréa disse:

    Tenho uma gatinha que desde que peguei-a, ela chupa o cobertor, mas ela já está com 10 meses, devo me preocupar?

    • GatinhoBranco disse:

      É bom você seguir as recomendações acima para tentar minimizar a situação, já que quanto mais tempo passar mais difícil vai ser para quebrar o hábito dela e existe uma chance grande de se tornar permanente. Principalmente nessa idade, é fundamental ela brincar bastante e, se possível, ter uma companhia felina para interagir.

  • Nicoli Viana disse:

    tenho dois gatos um de 1 ano e outro de 3 anos o mais novo lambe o pelo do mais velho! porque ele faz isso?

    • GatinhoBranco disse:

      É o jeito dele de agradar o amiguinho. Fazendo isso ele está ajudando a limpar os pêlos do outro gato e está imitando o gesto da mãe de lamber os filhotes, o que traz uma sensação muito boa para eles.

  • Fernando disse:

    Ola! Meu gato (6 meses) chupa compulsivamente seu mesmo pelo, na altura da barriga. Isso acontece principalmente quando recebe carinho.
    Acredito que seja psicologico, mas com certeza nao devido a falta de brincar com ele o dar carinho. Ele foi adoptado e tem a companhia de outro gatinho da mesma idade.
    O que fazer? è normal? pode causar problemas?
    Obrigado

    • GatinhoBranco disse:

      Oi, Fernando, tudo bom?
      Esse comportamento é comum em gatinhos muito novos, principalmente se foram separados da mãe muito cedo. A mãe lambe os bebês, inclusive a área da barriga, então essa sensação traz conforto para o gatinho. A brincadeira diária é muito importante, duas sessões de 15 minutos no mínimo, mas se você e o irmãozinho dele já brincam com ele, ótimo, é o primeiro passo. Você também pode dar um ursinho de pelúcia para ele se aninhar e se sentir seguro, ou um cobertor soft bem macio. Mesmo que ele comece a chupar o cobertor é melhor do que a barriguinha que pode acabar formando feridas.
      Outra coisa que ajuda muito é um spray chamado Feliway, que vem em forma de borrifador ou difusor automático. Recomendo o difusor. Você pluga na tomada e ele solta um ferormônio sintético igual ao que os gatos liberam quando estão tranquilos. Como eles se comunicam muito por olfato, o ferormônio é um jeito de dizer “esse ambiente é seguro, relaxa, tá tudo bem”. Isso ajuda a manter o gato mais calmo e faz ele se sentir seguro.
      Por fim, o mais difícil de fazer e super importante, é ignorar o comportamento. Se ele começa a se lamber no seu colo, para de agradá-lo e coloca ele no chão. Não dê bronca (não resolve com gatos) e não dê carinho. Se perceber que ele vai começar a se lamber, pega um brinquedinho interativo de corda e brinca com ele. Distraia ele o máximo que puder.
      Com o tempo, seguindo essas recomendações e conforme ele for crescendo, a tendência é o comportamento ir diminuindo até parar. Mas investe mesmo nas brincadeiras, porque o perigo é isso se tornar um TOC (transtorno obsessivo) e se estender à idade adulta.
      Se tiver mais alguma dúvida pode me mandar um e-mail pelo miau@gatinhobranco.com e eu te ajudo com o que puder!

  • Cris disse:

    Minha gatinha come plástico! É desesperador! =/