Existem gatos tricolores machos?

Existem, mas sempre que conhecer uma nova tricolor ou escaminha, você pode assumir com relativa segurança que ela seja fêmea. Isso porque tricolores machos são extremamente raros: segundo uma pesquisa da University of Missouri, que está sequenciando o genoma felino, apenas 1 em cada 3.000 tricolores são machos (0,0003%).

Isso acontece porque o gene que determina se um gato será laranja ou preto está presente no cromossomo X, que também é determinante para o sexo do animal (humanos inclusive). Um gato XY é macho, uma gata XX é fêmea. O gene que determina o branco, seja total ou parcial (manchas), está localizado em outro cromossomo e não é afetado pelo sexo.

Assim, tanto tricolores quanto escaminhas tem necessariamente dois genes XX, um para a cor preta e outro para a cor laranja, e por isso são (quase) sempre fêmeas. A diferença é que a tricolor tem também o gene de manchas brancas, além dos genes X preto e X laranja. Para saber mais sobre a genética da cor dos gatos, clique aqui (abre numa nova aba).

 

Os machos Klinefelter

Se é necessário ter dois XX para ser o gato ser laranja e preto, e XX determina uma fêmea, como é possível existirem machos tricolores? Bom, porque toda regra tem sua exceção e nem todo macho é só XY, existe uma síndrome genética rara que faz com que o gato macho nasça com genes XXY.

Esses gatos são chamados de machos Klinefelter, em homenagem ao pesquisador que descobriu a síndrome (que também pode ocorrer em humanos, por sinal) – e eles vivem como um gato qualquer. As únicas alterações mais evidentes são testículos menores, provável infertilidade e a possível coloração tricolor.

Mas é claro que nem todo macho Klinefelter é tricolor ou escaminha, para isso ele precisa ter um de seus gene X para cor preta e outro gene X para cor laranja. Se os dois XX que ele tiver forem para a coloração preta, ele só terá a cor preta (com ou sem manchas brancas, tigrado ou não).

Curiosamente, pelo menos 2/3 dos machos XXY que são tricolores ou escaminhas são quimeras, ou seja, sua coloração apresenta um mosaico de genes: em algumas partes do corpo o XX é ativado, em outras o XY.

Escaminhas também têm genes de preto e laranja, mas sem manchas brancas.
 

O que não é uma pelagem tricolor

É muito comum que as pessoas confundam o que o termo “tricolor” (três cores) designa em termos da pelagem dos gatos. Um tricolor é um gato que tenha necessariamente manchas de preto, laranja e branco. Um escaminha, ou “casco de tartaruga”, é um gato com manchas pretas e laranjas.

Ou seja, gatos tigrados de preto com o queixo ou barriga em tom mais bege, por exemplo, não são tricolores. Isso porque o bege (assim como o marrom e o chocolate) é uma variação de tonalidade do gene “preto” (B/b/bl), que é completamente diferente do gene laranja (O/o). O mesmo vale para siameses, ragdolls e afins: o gene X desses gatos carrega só a cor preta, que se manifesta em tons diferentes.

Pode parecer que um ragdoll tenha três cores (marrom, preto e branco), mas na verdade o marrom e preto são uma variação de tom do mesmo gene.
Tigrados também podem parecer ter três cores (bege, preto e branco), mas o gene X é de cor preta, que se manifesta em vários tons, com ou sem manchas brancas.
 

Fascinante, não é? Então confira também estes outros posts sobre a genética da cor dos gatos:

Fotos: Michael Frank Franz, abbyladybug, WJ van den Eijkhof, lovinkat.

Comentários desativados.